2018

WorldRX - Montalegre

WorldRX – Montalegre

Johan Kristoffersson somou este fim de semana em solo barrosão o segundo triunfo da temporada, ao passo que Sebastien Loeb registou novamente um 2º lugar num fim de semana que tinha tudo para acabar mal para o francês. Começamos o fim de semana com sol, mas no Domingo tudo mudou. Chuva, vento, neve, e até espaço para alguns raios de sol. As finais foram disputadas com a neve a cair.

O resultado das quatro qualificações deixou Loeb na frente, mas isso deveu-se mais às prestações de ontem com piso seco, porque hoje de manhã com piso molhado o homem da Peugeot passou por muitas dificuldades. Timmy Hansen posicionou-se ao seu lado no que foi a melhor qualificação da Peugeot no mundial de Rallycross.

Nas meias finais Timmy Hansen e Johan Kristoffersson repartiram os triunfos, mas saltou à vista o desastre de Mattias Ekström. O sueco tentou seguir o seu companheiro Andreas Bakkerud e acabou por prejudicar a prova de ambos, acabando Ekström por ficar fora da final.

Na corrida decisiva e que irá que irá ficar para a história como a primeira final de sempre com neve, Johan Kristoffersson conseguiu sair da primeira curva na frente, e a partir daí geriu a sua vantagem até à bandeira de xadrez. Timmy Hansen não o conseguiu acompanhar, fruto de um toque num rail na 2ª volta quando, aparentemente o autoblocante do seu Peugeot atirou o carro para o lado, problema esse que viria a provocar um peão do sueco no mesmo local uma volta mais à frente.

Sebastien Loeb optou por ir à “Joker Lap” logo após o arranque levando atrás de si Petter Solberg, mas o francês pareceu ter encontrado o set-up adequado para o Peugeot em molhado e conseguiu distanciar-se progressivamente do homem da VW. Abaixo do pódio ficou Andreas Bakkerud que não resistiu a Loeb e Solberg num fim de semana para esquecer na equipa EKS. Guerlain Chicherit conseguiu colocar o Renault Megane no 5º lugar garantindo a ida a uma final logo na segunda prova do carro.

Nos S1600 Artis Baumanis levou o Skoda Fabia ao triunfo. Espen Isaksaetre num Peugeot 208 surpreendeu, já que saiu do último lugar da segunda meia-final e conseguiu passar à final para subir até ao 2º lugar da geral. Ondrej Smetana colocou o Ford Fiesta no 3º lugar.

No Crosscar o espanhol Javier Lucena conseguiu surpreender e conquistar o primeiro lugar à frente do multicampeão Pedro Rosário. O pódio ficou completo com o Jorge Gonzaga. O barrosão João Pires conseguiu um excelente em 6º lugar em 20 participantes.

Azores Airlines Rally

O Azores Airlines Rally deu o tiro de partida para a nova temporada do Campeonato Europeu de Ralis, contando com uma recheada lista de inscritos, troços cuja qualidade é sobejamente reconhecida e as dificuldades inerentes às constantes alterações climatéricas sempre presentes na “Ilha Verde”. Entre as principais competições em disputa, destaque para os mais variados campeonatos europeus: ERC, ERC2, ERC Júnior e ERC U28. Para além destes, a prova açoriana contou ainda com a presença do pelotão do Campeonato Nacional de Ralis e Campeonato Açoriano de Ralis.

No capítulo desportivo, Alexey Lukyanuk, Ricardo Moura e Bruno Magalhães disputaram a vitória ao longo de 3 intensos dias de prova. Dominando a prova com um ritmo endiabrado, o piloto russo escapou aos sustos e colocou o Ford Fiesta R5 no degrau mais alto do pódio. Ricardo Moura terminou a “sua” prova na 2ª posição, superando o vencedor da edição de 2017, Bruno Magalhães.

Relativamente às restantes competições em disputa, Ricardo Moura sagrou-se vencedor no Campeonato Nacional de Ralis, batendo Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio, 2º e 3º classificados respectivamente. Com este resultado, o piloto açoriano reforça a sua liderança e dilata a sua vantagem pontual relativamente a Carlos Vieira. Nas 2RM, Diogo Gago foi o vencedor mas é Paulo Neto, 2º classificado, quem sai dos Açores na liderança do campeonato.

O DIREITA3 deslocou-se aos Açores para acompanhar os principais momentos do Azores Airlines Rally, trazendo até aos seus leitores alguns dos melhores registos fotográficos deste evento.

Rali Serras de Fafe

O arranque da temporada desportiva de 2018 deu-se com mais uma edição do Rali Serras de Fafe, 1ª prova do  Campeonato Nacional de Ralis. Organizada pela Demoporto, a prova delineada nas míticas classificativas de Fafe acolheu as principais equipas nacionais das 4RM e 2RM, bem como os participantes da Taça FPAK de Ralis e do Campeonato Regional Norte.

No capítulo desportivo, Ricardo Moura e Miguel Barbosa voaram baixinho durante o Rali Serras de Fafe. Só após a última classificativa, que terminou empatada, foi possível encontrar o vencedor. Ricardo Moura ganhou uma das mais renhidas provas de sempre dos ralis nacionais. Ao todo, houve seis trocas de líder da prova nos onze troços disputados, tendo a diferença final ficado num escassos 1.70 segundos.

Pedro Meireles arrecadaram o terceiro lugar do pódio, gerindo a fase final, já com José Pedro Fontes a “aproximar-se” do Skoda, fruto do ritmo que ia ganhando após o seu regresso à competição. Nas duas rodas motrizes Pedro Antunes dominou e terminou com uma vantagem de 1m31.60s sobre o principal adversário, Daniel Nunes. O pódio das duas rodas motrizes ficou completo com o piloto espanhol Elfren Llarena.

Após o final da prova, durante a conferência dos tempos, foi detectado uma falsa partida de Miguel Barbosa e Pedro Meireles na Fafe Street Stage, o que motivou uma penalização de dez segundos a cada um dos pilotos. Com este acréscimo de tempo, Miguel Barbosa terminou a 11.70 segundos de Ricardo Moura, mantendo a 2ª posição. Pedro Meireles perdeu o terceiro posto para José Pedro Fontes, tendo este terminado com 1.80 segundos de vantagem sobre o piloto do Skoda Fabia R5.

O DIREITA3 acompanhou os principais momentos do Rali Serras de Fafe, trazendo até aos seus leitores alguns dos melhores registos fotográficos deste evento.