2019

Azores Rallye

Após dois dias onde o bom tempo marcou presença e Alexey Lukyanuk dominou, a chuva e o nevoeiro do último dia veio complicar bastante o Azores Rallye. Quando tinha uma boa liderança superior a 40 segundos, Alexey Lukyanuk furou na especial de Graminhais, desceu para a terceira posição e atrasou-se bastante. O pneu furado resultou no rompimento de um tubo dos travões do Citroën, apanhando o russo de surpresa na primeira curva e sair de estrada com alguma violência, mas sem danos físicos com a dupla russa.

Łukasz Habaj subiu para segundo por troca com Ricardo Moura, logo no inicio do dia e aproveitou o azar de Lukyanuk da melhor forma e passar a ser o novo líder, com o piloto açoriano a apenas 18 segundos de distância. Ricardo Moura ainda tentou alcançar Habaj na derradeira especial, mas apenas conseguiu recuperar 10 segundos ao piloto polaco que acabou por obter a sua primeira nos Açores e no ERC. Moura deixou escapar a vitória por 8.4 segundos num troço muito difícil e com muitas armadilhas, sendo fácil errar e perder um excelente segundo lugar da geral e a vitória no CPR.

Pierre-Louis Loubet foi obrigado a parar após a primeira especial do último dia de prova, com uma avaria na bomba de água do Skoda Fabia R5. Chris Ingram aproveitou o azar do francês para subir à quarta posição e conseguir subir ao pódio pela terceira vez no ERC (a primeira no Azores Rallye), vencendo ainda entre os ERC1 Júniores. Luís Miguel Rego não chegou a participar no derradeiro dia, devido a uma lesão no braço direito, depois de uma boa prestação nos dois primeiros dias.

Ricardo Teodósio e Bruno Magalhães foram os pilotos mais rápidos do derradeiro dia de prova, separados por apenas 0.7 segundos na classificação de hoje. Com os abandonos de Lukyanuk e Loubet, a juntar à má prestação de Marijan Griebel na última etapa, Magalhães subiu ao quarto posto, sendo segundo nas contas do CPR. Ao abrir a estrada com os pisos molhados, Teodósio não saiu penalizado e até venceu quatro especiais à geral, efectuando uma recuperação até à quinta posição. Alexandros Tsouloftas foi segundo entre os ERC1 Júniores, mas não foi além da sétima posição, a mais de dois minutos de Griebel.

Bernardo Sousa aproveitou para fazer mais quilómetros no Citroen C3 R5 com que irá continuar no Campeonato Regional dos Açores, acabando por terminar na oitava posição, com larga vantagem para Vojtech Štajf e Paulo Nobre que terminaram em nono e décimo, respectivamente. Miguel Correia e António Dias resistiram à dureza do rali, conseguindo boas pontuações para o CPR, sendo quarto e quinto respectivamente na classificação deste campeonato. Efrén Llarena ficou com o caminho livre para a sua primeira vitória no ERC3, após Pedro Antunes ter perdido tempo com um toque que danificou a suspensão, caindo para a quarta posição, atrás de Sindre Furuseth e Elias Lundberg.

DIREITA3 acompanhou as principais peripécias do Azores Rallye, trazendo até aos seus leitores alguns dos melhores momentos deste evento.