Jornada dos vitoriosos no Dakar
19 Janeiro 2015 - José Soares da Costa

O Dakar 2015 chegou ao fim e nos automóveis, Nasser Al-Attiyah sagrou-se o vencedor pela segunda vez na sua carreira. Marc Coma deu mais um triunfo à KTM nas motos, quando surgem diversos rumores sobre a sua eventual passagem para os automóveis. A Kamaz e Airat Mardeev conseguiram a vitória entre os camiões e Rafal Sonik trouxe para a Polónia uma vitória “supersónica” entre os quads.

A 13ª etapa, entre Rosario e Buenos Aires, marcou o fim da edição de 2015 do Dakar. Encurtada devido às fortes chuvas que se abateram, esta tirada consagrou os vencedores dos automóveis, motos, camiões e quads. Na primeira categoria, a X-Raid alcançou mais uma vitória com os seus MINI All4Racing. Apesar da viatura vencedora pertencer a uma equipa e piloto privado, o MINI All4Racing foi a referência do pelotão, mesmo se as Toyota Hilux deram bastante luta.

Nasser Al-Attiyah conseguiu o seu segundo triunfo no Dakar, depois da vitória alcançada em 2011 com o Volkswagen Touareg. O piloto do Qatar teve em Giniel de Villiers a principal concorrência nesta edição, mas Yazeed Al-Rajhi também foi uma dor de cabeça. Al-Attiyah foi obrigado a utilizar toda a sua rapidez e experiência para bater os seus fortes adversários.

Krzysztof Holowczyc encerrou o pódio e deu mais uma resultado de relevo à X-Raid, numa edição onde Orlando Terranova e Nani Roma viram comprometidas as suas provas nas tiradas iniciais. O português Carlos Sousa terminou a prova na 8ª posição.

Nas motos, após a penalização atribuida a Paulo Gonçalves pela troca de motor, a vitória estava entregue ao espanhol Marc Coma. Novamente aos comandos de uma KTM, o múltiplo vencedor do Dakar somou mais uma triunfo ao seu currículo, num ano onde não deslumbrou e teve que lidar com a forte oposição dos pilotos mais jovens.

Não é por isso de estranhar os recentes rumores que o apontam como um futuro concorrente entre os automóveis, à semelhança do seu antigo rival Cyril Despres. O rookie australiano Toby Price encerrou o pódio, culminando uma exibição de luxo neste seu primeiro Dakar. Hélder Rodrigues foi 12º classificado e Ruben Faria terminou a prova na 6ª posição.

Nos camiões, a Kamaz dominou todos os acontecimentos e ocupou cada uma das posições do pódio. O jovem Airat Mardeev venceu pela primeira vez na sua carreira e bateu os seus experientes companheiros de equipa, Eduard Nikolaev e Andrey Karginov. As marcas adversárias bem tentaram, mas só a MAN conseguiu manter alguma consistência, colocando Ales Loprais na 4ª posição.

Entre os quads, Rafal Sonik venceu um Dakar onde Ignacio Casale enfrentou inúmeros problemas e acabou mesmo por desistir. Nem Sergio Lafuente consegiu manter-se em prova, sofrendo um aparatoso acidente que deu por encerrado o seu esforço na América do Sul. Desta forma, Jeremias Ferioli e Walter Nosiglia completaram o pódio, sem qualquer hipótese de contrariar o brilhante resultado do “supersónico” polaco.