Citroen com dupla vitória em França
21 Abril 2014 - José Soares da Costa

A exemplo do que se sucedeu na visita do WTCC a Marraquexe, a Citroen voltou a dominar na jornada disputada em Paul Ricard. Yvan Muller e José Maria López repartiram as vitórias em solo francês, enfrentando uma oposição mais competitiva mas aproveitando ao máximo o potencial do Citroen C-Elysée. Tiago Monteiro conquistou um pódio na 2ª corrida, efectuando uma prova sem mácula.

Com Yvan Muller a partir da pole position na 1ª corrida, era de esperar uma vitória relativamente fácil para o piloto francês. No entanto, com um arranque péssimo, Muller acabou por perder posições para Gabriele Tarquini e Norbert Michelisz. Recuperando deste desaire, o piloto da Citroen ultrapassou os seus adversários e ascendeu novamente à liderança ao final de apenas duas voltas.

Sébastien Loeb e José Maria López partiram das últimas posições da grelha, fruto de um problema com uma válvula de não-retorno dos seus Citroen. Sem que tivessem qualquer vantagem competitiva, os comissários decidiram mesmo assim retirar-lhes os tempos efecutados durante a qualificação. Os dois pilotos da Citroen foram assim forçados a efectuar uma corrida de recuperação, galgando várias posições à medida que a prova ia decorrendo.

A dada altura, Sébastien Loeb encontrava-se na 3ª posição, atrás do Honda Civic de Gabriele Tarquini. Sem argumentos para contestar a superioridade técnica do Citroen, Tarquini viu-se ultrapassado por Loeb e terminou a prova no último lugar do pódio. José Maria López terminou logo atrás de Tarquini, na 4ª posição. Quanto a Tiago Monteiro, foi apenas o 8º classificado.

Na 2ª corrida do fim de semana, o portuense Tiago Monteiro protagonizou um arranque soberbo, saltando da 3ª posição para a liderança da prova e batendo Gianni Morbidelli e Mehdi Bennani. Dilatando a vantagem nas voltas iniciais, Monteiro antecipava a aproximação dos Citroen para a fase final da prova.

No entanto com a entrada por duas vezes do Safety Car, o pelotão aproximou-se e Tiago Monteiro viu-se rapidamente batido por José Maria López e Yvan Muller no recomeço da prova. O piloto português acabaria por terminar na 3ª posição, conquistando mais um pódio para as cores da Honda. Gabriele Tarquini, seu companheiro de equipa, terminou imediatamente atrás de si.

Sébastien Loeb foi um dos protagonistas da 2ª corrida…pela negativa. Com um toque violento no Citroen de Yvan Muller, outro toque num muro de pneus que danificou o C-Elysée e obrigou à entrada do 2º Safety Car e uma saida de pista que nada ajudou a sua causa, Loeb alcançou apenas a 6ª posição.