Daniel Ricciardo estreia-se nas vitórias!
9 Junho 2014 - José Soares da Costa

À 7ª prova da temporada de 2014, Daniel Ricciardo e a Red Bull quebraram a hegemonia da Mercedes no Campeonato do Mundo de Fórmula 1. O piloto australiano estreou-se nas vitórias num Grande Prémio de cortar a respiração, decidido nas derradeiras voltas do fim de semana. Apesar das dificuldades, Nico Rosberg dilatou a sua vantagem no Campeonato de Pilotos, beneficiando do abandono do seu colega de equipa Lewis Hamilton.

Após ter conquistado mais uma pole position em 2014, Nico Rosberg partia como o principal favorito para a vitória em Montreal. Com um arranque menos eficaz do que Lewis Hamilton, Rosberg deu tudo na abordagem à 1ª curva. Hamilton, sem hipótese de bater o seu colega de equipa nos primeiros metros, acabaria mesmo por perder a 2ª posição para Sebastien Vettel.

No entanto, o Safety Car seria chamado ainda nesta 1ª volta, devido a um toque entre Max Chilton e Jules Bianchi. O piloto britânico errou na abordagem às curvas 3 e 4, tocando no seu colega de equipa. Bianchi, sem qualquer controlo do seu Marussia, viria a embater violentamente nos rails, felizmente sem qualquer consequência física.

O Grande Prémio seria finalmente reiniciado à 6ª volta e poucas voltas depois, Lewis Hamilton regressaria à 2ª posição após uma eficaz ultrapassagem a Sebastien Vettel. O piloto inglês partiu na perseguição ao seu colega de equipa, rodando consistentemente mais rápido que este e reduzindo a cada volta a diferença entre os dois.

No entanto, a meio da prova os dois Mercedes W05 sentiram exactamente os mesmos problemas eléctricos, perdendo a potência máxima nas suas unidades motrizes e rodando mais lento do que os seus adversários. Após a 2ª paragem nas boxes, Lewis Hamilton viria mesmo a abandonar com problemas de travões no seu monolugar.

Nesta altura, Felipe Massa já havia assumido a liderança da prova por troca com Nico Rosberg, que havia efectuado a sua 2ª paragem nas boxes. O piloto brasileiro cairia no entanto para a 7ª posição, quando finalmente realizou a sua última paragem nas boxes.

Nico Rosberg enfrentava agora os mesmo problemas de travões que o seu colega de equipa. Com a ajuda da equipa e alteração de alguns parâmetros do Mercedes W05, Rosberg conseguiu manter-se em prova mas com um ritmo mais lento do que os seus rivais. Sérgio Pérez, Daniel Ricciardo e Sébastien Vettel rapidamente aproximaram-se de Rosberg, mas o piloto alemão conseguia defender-se de todos ataques, ganhando tempo na zona sinuosa do circuito.

À 66ª volta, Daniel Ricciardo finalmente ultrapassou o mexicano Sérgio Pérez. Apenas Nico Rosberg o separava da 1ª posição e o piloto alemão acabaria por ser uma presa fácil para Ricciardo. A duas voltas do fim, piloto australiano ultrapassou o Mercedes na antiga recta da meta. Sebastien Vettel seguiu o exemplo do seu companheiro de equipa, ultrapassando Sérgio Pérez e alcançando a 3ª posição.

Os acontecimentos na última volta levararam no entanto a uma nova entrada do Safety Car: em plena travagem para a 1ª curva, Sérgio Pérez mudou de trajectória e embateu no Williams de Felipe Massa, atirando as duas viaturas a alta velocidade contra as barreiras de protecção. Apesar da violência do acidente, os dois pilotos sairam ilesos e pelos seus próprios meios.

Com a última volta a ser realizada atrás do Safety Car, Daniel Ricciardo foi confirmado como o vencedor do Grande Prémio do Canadá, o seu primeiro triunfo na Fórmula 1. Nico Rosberg, 2º classificado, amelhou pontos valiosos na luta pelo título e Sebastien Vettel encerrou o pódio, confirmando as melhorias nos Red Bull RB10.

Jenson Button foi o 4º classificado, aproveitando um bom momento de forma para ultrapassar Nico Hulkenberg e Fernando Alonso na penúltima volta de corrida.  Hulkenberg, que partiu para esta corrida com uma estratégia de uma paragem apenas, conseguiu conter os ataques do Ferrari de Fernando Alonso, o sexto classificado neste Grande Prémio.

Na 7ª posição terminou o Williams de Valtteri Bottas, imediatamente à frente do Toro Rosso de Jean-Éric Vergne. Kevin Magnussen e Kimi Raikkonen encerram os lugares pontuáveis, com o piloto finlandês a ter uma prova verdadeiramente para esquecer no Canadá.

No Campeonato de Pilotos, Nico Rosberg lidera com 140 pontos, mais 22 pontos do que Lewis Hamilton. Daniel Ricciardo ascendeu à 3ª posição, com 79 pontos. Relativamente ao Campeonato de Construtores, a Mercedes lidera com 258 pontos, mais 119 que a Red Bull. O 3º lugar é ocupado pela Ferrari, que conta com 87 pontos.