Filipe Albuquerque sem sorte no Estoril
20 Outubro 2014 - José Soares da Costa

As 4 Horas do Estoril, prova que encerrava o calendário de 2014 da European Le Mans Series, foi um sucesso junto do público. O Autódromo do Estoril teve casa cheia neste evento, algo que já há muito tempo não se via neste traçado. Filipe Albuquerque e a JOTA Sport bem tentaram alcançar o título em Portugal, mas uma série de contratempos impediram esse feito. A Signatech Alpine saiu vencedora, conquistando o título pelo 2º ano consecutivo.

Partindo da pole position, conquistada durante a manhã, Filipe Albuquerque efectuou o 1º turno de condução ao volante do Zytek-Nissan. O piloto português cumpriu o seu dever, liderando a prova até à 1ª paragem nas boxes e deixando para trás o Alpine A450 com o qual disputava o título. No entanto, a equipa francesa rapidamente subiu ao 2º lugar, posição que automaticamente lhes garantia a conquista do ceptro.

Com a mudança de piloto, o patrão Simon Dolan passou para os comandos do Zytek Z11SN da JOTA Sport. Logo nos primeiros metros, o piloto britânico efectuou um pião e pouco tempo depois, acabaria por sofrer um toque de um Ferrari 458 Italia. Um furo num dos pneus dificultou ainda mais a tarefa de Dolan, que teria uma saída de pista na curva da “Orelha”.

Com Harry Tincknell a entrar ao ataque no último turno de condução, o Zytek-Nissan da JOTA Sport acabaria por subir até ao último lugar do pódio, posição em que terminou a prova. Apesar do Stop&Go de 3 minutos aplicado ao Signatech Alpine (por ter patinado as rodas ao sair das boxes), a 3ª posição da JOTA Sport não foi suficiente para alcançar o tão almejado título. O vice-campeonato foi o resultado possível no Estoril e apenas 4 pontos separaram-nos do título.

Destaque ainda para a brilhante estreia do português Miguel Faísca ao volante de uma viatura da classe LMP2. O vencedor da GT Academy efectuou uma prova consistente com o Zytek-Nissan Z11SN da Greaves Motorsport, tendo terminado na 7ª posição. No entanto, uma penalização atribuída a James Fletcher acabaria por condicionar o resultado final da equipa.

Enquanto a SMP Racing levou o Ferrari 458 Italia ao triunfo na classe GTE, batendo a Gulf Racing UK na derradeira paragem nas boxes, a Marc VDS colocou o BMW Z4 GT3 no lugar mais alto do pódio da classe GTC. Filipe Barreiros e Francisco Guedes terminaram no 8º lugar entre os GTC, tendo sofridos problemas no inicio da corrida com a caixa de velocidades do Ferrari 458 Italia.