Magalhães vence e Meireles conquista título!
4 Agosto 2014 - José Soares da Costa

2014 ficará nos livros de história como uma das edições mais emocionantes de sempre do Rali Vinho da Madeira. Bruno Magalhães venceu na sua estreia ao volante do Peugeot 208 T16, mas teve que puxar dos seus galões para bater o potente Porsche 911 GT3, pilotado pelo rapidíssimo José Pedro Fontes. Pedro Meireles e Mário Castro sagraram-se virtuais Campeões Nacionais de Ralis na Madeira, beneficiando da desistência de Ricardo Moura e António Costa após um aparatoso acidente.

O Rali Vinho da Madeira foi para a estrada na passada sexta feira, com dois troços disputados ao longo da tarde: Campo de Golfe e Chão da Lagoa. Bruno Magalhães rapidamente impôs o seu conhecimento do terreno, batendo a concorrência na 1ª classificativa. No entanto, José Pedro Fontes viria a bater o piloto de Lisboa na 2ª classificativa, terminando o dia na liderança da prova. Na 3ª posição encontrava-se um surpreendente e rapidíssimo Miguel Nunes, ao volante do Mitsubishi Lancer EVO X, batendo o Porsche 911 GT3 de Alexandre Camacho.

No 2º dia de prova, o destaque foi para o abandono de Ricardo Moura e António Costa. A dupla do Ford Fiesta R5 da ARC Sport despistou-se durante a 2ª passagem pelo Chão da Lagoa, tendo embatido nos troncos que ladeavam a estrada. Esses objectos acabariam por ser projectados contra duas espectadores, colocadas num local devidamente sinalizado pela organização como interdito ao público. Felizmente, estas espectadores sofreram apenas ferimentos ligeiros, tendo sido prontamente socorridas e transportadas para o hospital mais próximo.

No capítulo desportivo, o abandono de Moura e a 2ª posição de Pedro Meireles na classificação relativa ao Campeonato Nacional de Ralis entregavam “virtualmente” o título ao piloto vimaranense, caso este terminasse a 7ª classificativa da prova, PEC onde encerravam as classificações nacionais.  Com o pensamento nas contas do campeonato, Pedro Meireles cumpriu esse objectivo e com isso averbou o seu primeiro título absoluto no Campeonato Nacional de Ralis.

José Pedro Fontes e Inês Ponte foram os vencedores da prova pontuável para o Campeonato Nacional de Ralis, somando o 2º triunfo do Porsche 911 GT3 em 2014. João Barros, na sua estreia na Madeira, levou o Ford Fiesta R5 à terceira posição na classificação reservada à prova nacional. Paulo Neto, em Citroen DS3 R3T, também saiu da Madeira com o título nacional, desta feita na categoria RC3.

Na discussão pela classificação geral da prova, Bruno Magalhães entrou para o último dia de prova com 17 segundos de vantagem sobre o Porsche 911 GT3 de José Pedro Fontes. O Porsche 911 GT3 de Alexandre Camacho encontrava-se imediatamente atrás de Fontes, na 3ª posição. De recordar que segundo os regulamentos em vigor, as viaturas germânicas não pontuavam para a Taça da Europa de Ralis. Desta forma, Miguel Nunes (4ª classificado no aglomerado de todas as equipas inscritas) era para todos os efeitos o 2º classificado segundo a classificação internacional da prova.

Na derradeira etapa, o Peugeot 208 T16 de Bruno Magalhães acabaria por ser a fonte de todos os receios. Apesar do forte ritmo imposto na manhã de Domingo, onde Magalhães dilatou a sua vantagem para 24 segundos, a embraiagem da viatura francesa apresentava problemas e poderia ceder a qualquer momento, obrigando à desistência do piloto. Sem uma embraiagem suplente para efectuar a substituição durante a passagem pelo parque de assistência, Bruno Magalhães foi forçado a levar o “problemático” Peugeot 208 T16 até ao final da prova.

Ao longo dos 4 troços que encerram o Rali Vinho da Madeira, a diferença entre José Pedro Fontes e Bruno Magalhães foi sendo reduzido substancialmente. Fontes demonstrava a rapidez do Porsche mesmo nas secções sinuosas, o principal handicap da viatura germânica devido às duas rodas motrizes. No entanto, o tempo perdido nos troços húmidos da manhã acabariam por impedir a conquista da vitória na classificação “virtual” deste rali. Bruno Magalhães celebrou mais uma vitória na Madeira, por uma curta margem de apenas 4 segundos.

A derradeira posição do pódio “virtual” da prova madeirense foi ocupado por mais um Porsche 911 GT3, pilotado por Alexandre Camacho. O piloto madeirense não teve mãos a medir, dado o ataque de Miguel Nunes ao longo da última etapa. No entanto, a maior potência do Porsche 911 e os pisos mais secos da tarde acabariam por beneficiar Alexandre Camacho, que assim confirmava a sua presença no pódio.

Bernanrdo Sousa, que se apresentava na Madeira ao volante do Ford Fiesta R5 do Team Vespas, viu-se prejudicado pela falta de testes nesta viatura. A 5ª posição foi o resultado possível para o piloto madeirense nestas circunstâncias. Miguel Campos terminou na 6ª posição, sofrendo diversos problemas com o motor do Peugeot 208 T16. A penalização na 2ª etapa, provocada pelo tempo excessivo no parque de assistência, acabaria por hipotecar um melhor resultado por parte do piloto famalicense. Já Pedro Meireles não teve a sorte do seu lado neste último dia, sendo obrigado a desistir com problemas eléctricos no Skoda Fabia S2000.