Sébastien Ogier renova título no WRC
27 Outubro 2014 - José Soares da Costa

Foi no Rali de Catalunha que Sébastien Ogier confirmou o seu 2º título mundial de ralis, perante a forte oposição de Jari-Matti Latvala. O piloto francês cumpriu o plano traçado à risca: construiu uma vantagem confortável na 1ª etapa de terra e geriu a diferenças nas restantes etapas de asfalto da prova catalã. Latvala esteve sempre por perto, mas não o suficiente para poder alterar o destino do título de pilotos.

A majestosa super especial disputada nas imediações de Montjuic abriu as hostilidades do Rali da Catalunha. Andreas Mikkelsen foi o mais rápido em Barcelona, mas nos troços do dia seguinte, disputados em terra, Ogier repunha a normalidade e alcançava a liderança. Beneficiando do pó que afectou os seus oponente e da inexistência de vento, Ogier construiu uma vantagem que chegou aos 36.6 segundos.

Jari-Matti Latvala não conseguia demonstrar o ritmo necessário para acompanhar o seu colega de equipa. Com dificuldades na afinação do VW Polo R WRC, o piloto finlandês apenas alcançou a 2ª posição no final da 1ª etapa. Na 3ª posição encontrava-se o Citroen DS3 WRC de Mads Ostberg, a 0.6 segundos de distância.

Com a entrada em cena do asfalto, Jari-Matti Latvala deu tudo por tudo, vencendo 4 das 6 classificativas do 2º etapa da prova. No entanto Ogier acompanhou sempre o ritmo do finlandês, tendo terminado o dia com 27.3 segundos de diferença. No último lugar do pódio encontrava-se agora Mikko Hirvonen, que após alguns registos interessantes terminou o dia a 1m48s de distância da 1ª posição.

No derradeiro dia de prova, Jari-Matti Latvala entrou de “faca nos dentes”, reduzindo a diferença relativamente a Ogier para uns escassos 11.3 segundos. Mesmo vencendo o Power Stage, Latvala foi incapaz de bater Ogier na luta pela vitória deste rali. Desta forma, o piloto francês saiu de Espanha com mais um título no bolso.  Mikko Hirvonen confirmou a sua 3ª posição após uma óptima exibição, batendo Mads Ostberg na luta pelo pódio. Dani Sordo foi o melhor entre os Hyundai, na 5ª posição.

Relativamente ao WRC2, Nasser Al-Attiyah foi o vencedor após uma prova onde não deu qualquer hipótese de resposta à concorrência. Bernardo Sousa e o seu navegador Hugo Magalhães abandonaram ainda na 1ª etapa, após uma aparatosa saída de estrada, felizmente sem consequências físicas para a dupla portuguesa. João Fernando Ramos e José Janela terminaram na 48ª posição da classificação geral e 13º entre os concorrentes da classe RC2.