Toyota domina 6 Horas de Spa
5 Maio 2014 - José Soares da Costa

A Toyota voltou a dominar no Campeonato do Mundo de Resistência, batendo as suas rivais Audi e Porsche com mais uma vitória em 2014. A Audi demonstrou um melhor rendimento em Spa-Francorchamps, ao terminar na 2ª posição e impedir uma nova dobradinha da equipa nipónica. Quanto à Porsche, diversos problemas técnicos impediram um melhor resultado dos 919 Hybrid.

Partindo de uma surpreendente pole position, o Porsche 919 Hybrid nº 14 (partilhado por Neel Jani, Romain Dumas e Marc Lieb) parecia ter todas as condições para bater os seus adversários no circuito delineado nos bosques das Ardenas. A vantagem rapidamente alcançada nos primeiros momentos da prova permitiram liderar com relativo conforto. No entanto, o Toyota nº8 (Anthony Davidson/Nicolas Lapierre/Sébastien Buemi) viria a ultrapassar o Porsche nº14 durante a 2ª paragem nas boxes, rumando para uma vitória sem constestação.

Diversos problemas no sistema hibrido acabaram por impedir um novo ataque à liderança por parte da viatura germânica, atrasando-a consideravelmente. A 4ª posição seria assim o melhor resultado possível para o 919 Hybrid nº14. Quanto ao 919 Hybrid nº20 (Timo Bernhard/Mark Webber/Brendon Hartley), acabaria a prova na 23ª posição após ter sofrido vários problemas mecânicos ao longo da prova de 6 horas.

Quanto à Audi, os R18 e-tron quattro estão longe do ritmo apresentando pelos TS040 e 919 Hybrid. Colocando em pista dois R18 com configuração aerodinâmica convencional (nº1 e nº2) e um R18 com a configuração aerodinâmica para Le Mans (nº3), o desempenho esteve aquém do esperado pela equipa germânica.

O R18 e-tron quattro nº1 (Lucas Di Grassi/Loïc Duval/Tom Kristensen) acabaria por beneficiar dos problemas sofridos pelos 919 Hybrid, subindo na classificação e disputando a 2ª posição com o Toyota TS040 nº7 (Alexander Wurz/Stéphane Sarrazin/Kazuki Nakajima). A equipa nipónica acabaria por errar, entregando o lugar intermédio do pódio à Audi. Stéphane Sarrazin bem tentou contrariar tal situação durante o seu último turno de condução, mas acabaria batido pelo melhor carro da equipa germânica.

Quanto ao português Filipe Albuquerque, o seu R18 e-tron quattro preparado para as 24 Horas de Le Mans (e dividido com Marco Bonanomi) nunca esteve em condições de bater os seus adversários com configurações aerodinâmicas idênticas, terminando num modesto 6ª lugar a duas voltas do vencedor.

Entre os LMP2, a G-Drive colocou o seu Morgan-Nissan nº 26 (Roman Rusinov/ Olivier Pla/Julien Canal) no lugar mais alto do pódio, batendo o Zytek Z11SN-Nissan nº38 (Simon Dolan/Harry Tincknell/Marc Gené) da Jota Sport. No último lugar do pódio ficou o Oreca 03-Nissan nº 47 da KCMG, partilhado por Matthew Howson, Richard Bradley e Alexandre Imperatori.

Nos GTE Pro, Gianmaria Bruni e Toni Vilander levar o Ferrari 458 Italia da AF Corse à vitória, batendo o Porsche 911 RSR nº91 (Patrick Pilet e Jörg Bergmeister), inscrito pela equipa oficial do construtor germânico. Na 3ª posição ficou mais um Ferrari 458 da AF Corse, desta feita entregue a Davide Rigon e James Calado.

Relativamente aos GTE Am, a Ferrari também esteve em destaque ao conquistar mais uma vitória. O Ferrari 458 Italia nº 61 (Luis Perez-Companc/Marco Cioci/Mirko Venturi) foi o vencedor, batendo o Aston Martin V8 Vantage nº 95 (Kristian Poulsen/David Heinemeir Hansson/Richie Stanaway). Pedro Lamy terminou na 3ª posição desta categoria, tendo partilhado o Aston Martin V8 Vantage nº96 com Paul Dalla Lana e Christoffer Nygaard.