Jaguar XJR-9: A beleza em Le Mans
23 Janeiro 2015 - José Soares da Costa

Em 1988, a Tom Walkinshaw Racing dominou o Grupo C com o XJR-9, o Sport Protótipo que trouxe a Jaguar de volta ao sucesso internacional. Com uma vitória nas 24 Horas de Daytona e nas 24 Horas de Le Mans, além do título de Marcas e Pilotos no Campeonato do Mundo de Resistência, a viatura saída das oficinas da TWR rapidamente tornou-se numa referência na Europa e nos Estados Unidos.

Evoluido a partir do XJR-8, o XJR-9 foi desenhado por Tony Southgate e construído pela Tom Walkinshaw Racing (TWR). No coração do Sport Protótipo encontrava-se um motor Jaguar V12 de 7 litros, construído a partir do bloco de 5.3 litros utilizado no XJS de estrada e que debitava cerca de 720 cv de potência. A TWR contava também com duas versões distintas do XJR-9: Sprint, equipada com o kit com maior apoio aerodinâmico ou LM, destinado às longas e rápidas rectas das Hunaudières.

A TWR inscreveu o XJR-9 no Campeonato do Mundo de Resistência e no campeonato norte-americano IMSA GTP. A estreia do XJR-9 deu-se nas 24 Horas de Daytona, onde a viatura britânica com as cores da Castrol dominou a concorrência e alcançou mais um triunfo para a TWR. No entanto, o XJR-9 só viria a conquistar mais uma vitória ao longo de 1988, na última prova da temporada, terminando na 3ª posição no Campeonato de Construtores.

Na Europa, o sucesso do XJR-9 foi tremendo: alcançou 6 vitórias no Campeonato do Mundo de Resistência, alcançando o título e rubricou a vitória nas 24 Horas de Le Mans. Para tal, a equipa de Tom Walkinshaw inscreveu um total de 5 XJR-9, Apenas 3 sobreviveram à prova e o chassis vencedor (entregue a Jan Lammers, Andy Wallace e Johnny Dumfries) terminou a prova com a caixa de velocidades em 4ª e “presa por arames”.