Rosberg regressa aos triunfos no México
3 Novembro 2015 - José Soares da Costa

O regresso da Fórmula 1 ao México foi o “elixir” que Nico Rosberg necessitava para regressar aos triunfos. Com um desempenho sem mácula, o piloto alemão bateu o campeão Lewis Hamilton e quebrou o “jejum” de vitórias que durava desde o Grande Prémio da Áustria, disputado em Junho. Valtteri Bottas completou o pódio da prova mexicana.

Arrancando da pole-position, Nico Rosberg conteve os ataques de Lewis Hamilton durante as voltas iniciais. A partir desse ponto, o piloto alemão começou a aumentar a diferença relativamente ao seu companheiro de equipa. Atrás dos dois pilotos da Mercedes, Daniil Kvyat subiu à terceira posição e Daniel Ricciardo tocou no Ferrari de Sebastian Vettel, provocando-lhe um furo que o atirou para a última posição.

O desempenho de Vettel ao longo da tarde seria decisivo para o resultado final deste Grande Prémio do México: com um ritmo bastante agressivo, o piloto alemão recuperou posições atrás de posições até efectuar um pião. Nessa mesma curva, mas na 52ª volta, Vettel saiu de pista e embateu com alguma violência nas barreiras de protecção, sendo obrigado a abandonar o Grande Prémio.

A entrada do Safety Car acabaria por agrupar o pelotão, anulando a vantagem conquistada por Nico Rosberg. No recomeço da prova, Lewis Hamilton tentou de tudo para ultrapassar Rosberg, sem qualquer sucesso. O piloto inglês acabou mesmo por efectuar um erro que hipotecou qualquer estratégia de ataque para as derradeiras voltas do Grande Prémio do México. Nico Rosberg regressou desta forma às vitórias, batendo o piloto mais forte no seio da Mercedes.

Relativamente à luta pela terceira posição, a luta entre os dois monolugares da Red Bull e o Williams de Valtteri Bottas concentrou as atenções de todos os espectadores. Com a entrada do Safety Car, a vantagem de Kvyat relativamente a Bottas esfumou-se e o piloto finlandês aproveitou o recomeço da prova para ultrapassar o jovem russo e subir na tabela classificativa.

À semelhança do que se sucedeu em Sochi, Kimi Raikkonen e Valtteri Bottas protagonizaram uma interessante luta. E tal como foi o caso no Grande Prémio da Rússia, voltaram a tocar-se…Enquanto Kimi Raikkonen foi forçado a abandonar com a suspensão traseira direita partida no seu Ferrari, Bottas manteve-se em pista sem danos aparentes. A partir desse ponto, o piloto da Williams conservou a terceira posição até ao final do Grande Prémio do México.

Daniel Ricciardo não foi capaz de bater o seu companheiro de equipa e teve em Felipe Massa um osso duro de roer. O piloto brasileiro deu tudo por tudo para ultrapassar o Red Bull, mas a sexta posição foi o melhor resultado possível. Os Force India de Nico Hulkenberg e o Sérgio Pérez terminaram na 7ª e 8ª posição respectivamente. Max Verstappen, em Toro Rosso e Romain Grosjean, em Lotus, encerraram o Top-10 no México.